TSE nega pedido do PT e confirma veracidade da denúncia do “Estadão” sobre uso dos Correios por Dilma

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on pocket
Pocket
Share on whatsapp
WhatsApp

O Plenário do Tribunal Superior Eleitoral negou, na noite desta terça-feira (30), o pedido da candidata Dilma Rousseff, do PT, para obter direito de resposta contra o jornal O Estado de São Paulo. A coligação petista se sentiu incomodada com matéria publicada pelo “Estadão” no último dia 19 de setembro, com a manchete “Correios abrem exceção para distribuir panfleto de Dilma”. O jornal, em sua reportagem, afirmou que a “propaganda eleitoral de Dilma foi enviada sem marca da empresa que comprova pagamento do serviço” e que a “estatal comandada por petistas abre exceção e deixa de exigir chancela para auditar quantidade de material distribuído”. Ainda segundo a matéria, “os correios abriram uma exceção para o PT e distribuíram em São Paulo panfletos da presidente Dilma Rousseff sem chancela ou comprovante de que houve postagem oficial”.

O PT alegou, no seu pedido de direito de resposta, que a matéria era inverídica. No voto condutor da decisão, o ministro Admar Gonzaga ressaltou que a “exceção” está nas normas dos Correios e foi utilizada por vários outros candidatos. “A manchete não é chapadamente inverídica”, acentuou Admar Gonzaga, descartando a alegação da coligação do PT.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on pocket
Pocket
Share on whatsapp
WhatsApp