Terceiro aeroporto de São Paulo: promessa sempre feita mas jamais cumprida pelo governo do PT

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on pocket
Pocket
Share on whatsapp
WhatsApp

Em café da manhã com jornalistas, a presidente Dilma Rousseff requentou a promessa de que o seu governo empreenderá a construção do terceiro aeroporto da cidade de São Paulo. Aos jornalistas, Dilma afirmou que o terceiro aeroporto vai sair, “mas ainda não está claro quando. Vai ser rápido, mas não sei a data”. O projeto inicial para construção do terceiro aeroporto de São Paulo previa que ele fosse construído no município de Caieiras, a cerca de 25 quilômetros da capital, mas os empresários do setor reclamam que o governo federal seguidamente vem adiando o início da empreitada.

O discurso de Dilma sobre o terceiro aeroporto nada mais é do que a renovação da promessa feita inicialmente pelo então presidente Lula, como uma das medidas emergenciais anunciadas três dias depois do acidente, em 20 de julho de 2007, com o avião da TAM, que deixou 199 mortos. Na época, Dilma, como chefe da Casa Civil, havia afirmado que o governo executaria a construção do terceiro aeroporto em poucos meses, como forma de dar uma resposta ao “apagão aéreo” que tomou conta do sistema aeroportuário em todo o País.

Passado o ano de 2007, o governo deixou de lado a ideia do terceiro aeroporto, que foi retomada, entretanto, no início da campanha presidencial de 2010. Em plena campanha de Dilma, o presidente Lula convocou, em junho de 2010, uma reunião com ministros e assessores da área econômica para discutir o decreto com os termos da concessão do novo aeroporto de São Paulo, que seria repassado à iniciativa privada. Naquela época, declarações de membros do governo davam conta de que a medida estaria sendo desengavetada porque o governo havia colhido novas informações sobre a situação da demanda no setor, e havia a expectativa de aumento do movimento de passageiros por conta da escolha do Brasil para sediar a Copa do Mundo 2014 e a Olimpíada de 2016. Passada a campanha e com a vitória de Dilma, a ideia foi novamente esquecida, apesar de o próprio governo possuir estudos afirmando que a maioria dos aeroportos das grandes cidades estaria caminhando para uma situação de colapso, principalmente São Paulo, que possui dos dois aeroportos mais movimentados do País.

Não é surpresa, portanto, que a proximidade da campanha eleitoral de 2014 traga de volta à pauta a promessa da construção do terceiro aeroporto de São Paulo.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on pocket
Pocket
Share on whatsapp
WhatsApp