Residência bolivariana: Dilma empresta Granja para presidente de Cuba, que a transforma em escritório político

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on pocket
Pocket
Share on whatsapp
WhatsApp

Os principais partidos de oposição, PSDB, DEM e PPS, criticaram a concessão de hospedagem, pelo governo Dilma, ao presidente de Cuba, Raúl Castro, na Granja do Torto, uma das residências oficiais da Presidência em Brasília. O Palácio do Planalto informou, nesta quinta-feira (17), por meio de sua assessoria, que Raúl Castro havia pedido para ficar hospedado na Granja e foi atendido pela presidente Dilma. O presidente cubano veio ao Brasil participar de encontro da Celac, grupo composto por Cuba, Costa Rica, Equador e Antígua e Barbuda, com países da América Latina e a China.

Aproveitando sua estada em Brasília, o presidente de Cuba aproveitou para transformar a Granja do Torto em gabinete de encontros oficiais. Raúl Castro recebeu na Granja o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, que chegou em carro blindado e acompanhado de batedores da Polícia Rodoviária Federal. A agenda do encontro não foi divulgada pelas embaixadas dos dois países. Maduro, assim como Castro, está em Brasília para encontros de chefes de Estado em reuniões do grupo Brics, Comunidade dos Estados Latino-americanos e Caribenhos (Celac) e União de Nações Sul-Americanas (Unasul).

Segundo apurou o Broadcast, serviço em tempo real da Agência Estado, Raúl Castro é o único dos chefes de Estado a receber a deferência de se hospedar na casa de campo da Presidência brasileira. O fato está sendo tratado como segredo de Estado pelo governo brasileiro, mas foi confirmado ao Broadcast por duas fontes do governo. Não foi dada nenhuma explicação sobre o assunto.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on pocket
Pocket
Share on whatsapp
WhatsApp