Projeto para impor quarentena aos ministros do TCU que deixam o cargo

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on pocket
Pocket
Share on whatsapp
WhatsApp

O senador Alvaro Dias protocolou, nesta sexta-feira (09), projeto de lei que tem como objetivo alterar a Lei Orgânica do Tribunal de Contas da União para estabelecer quarentena ao ministro do tribunal que deixar o cargo. Segundo justifica o senador, a criação de tal restrição ao profissional que deixa o TCU evitar o tráfico de influência e a exploração do prestígio que o antigo magistrado possui junto ao tribunal em que atuou, o que preserva a imagem da própria corte de contas.

No seu projeto, Alvaro Dias lembra que a Constituição prevê hoje, no seu art. 95, parágrafo único, V, que aos juízes em geral é vedado exercer a advocacia no juízo ou tribunal do qual se afastou, antes de decorridos três anos do afastamento do cargo por aposentadoria ou exoneração. Trata-se da vedação comumente conhecida como quarentena dos juízes. Com tal medida, evita-se a ocorrência de situações de suspeição quanto ao bom funcionamento da jurisdição em nosso país.

“Pelas mesmas razões, é fundamental que tal restrição seja estendida também aos ministros do Tribunal de Contas da União, tendo em vista a relevante e delicada missão atribuída pela Carta Magna a esse órgão republicano de controle”, defende o senador Alvaro Dias.

A proposição destaca que entre as competências do TCU, estão hoje tarefas como as de: apreciar as contas prestadas anualmente pelo Presidente da República; julgar as contas dos administradores e demais responsáveis por dinheiros, bens e valores públicos; e realizar inspeções e auditorias nas unidades administrativas dos Poderes da República. Além disso, para a efetivação de tais tarefas, o TCU possui o poder de: aplicar aos responsáveis, em caso de ilegalidade de despesa ou irregularidade de contas, as sanções previstas em lei; assinar prazo para que o órgão ou entidade adote as providências necessárias ao exato cumprimento da lei, se verificada ilegalidade; e sustar, se não atendido, a execução do ato impugnado, comunicando tal decisão à Câmara dos Deputados e ao Senado Federal.

“Nota-se, assim, a enorme relevância das atividades da Corte de Contas, razão pela qual o presente projeto de lei pretende estender aos seus ministros a citada quarentena, em relação ao TCU”, argumenta Alvaro Dias.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on pocket
Pocket
Share on whatsapp
WhatsApp