Construção de creches, mais uma promessa não cumprida por Dilma

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on pocket
Pocket
Share on whatsapp
WhatsApp

Mais uma vez, o governo Dilma não cumpre o prometido. A construção de 6.000 creches e pré-escolas em todo o país, uma das promessas da primeira campanha da presidente da República, estagnou e o programa terá que ser revisto. Segundo informações da reportagem da Folha de S. Paulo desta segunda-feira (30), a execução do projeto será um dos principais desafios que o novo ministro da Educação, o professor Renato Janine Ribeiro, irá enfrentar. Para acelerar a entrega das unidades, o governo federal substituiu o modelo de alvenaria por um pré-moldado e fez um edital único para a contratação de fornecedores em todo o país. De acordo com a publicação, o novo formato tornou-se obrigatório para as prefeituras receberem a ajuda do governo para as obras da educação infantil.

No último dia 20 de março, o senador Alvaro Dias, na Tribuna, fez uma denúncia sobre o programa de creches do governo Dilma. Segundo ele, além de cumprir somente 14% da meta da construção das quase seis mil creches prometidas durante a campanha de 2010, o governo vem utilizando material plástico, de PVC, para edificar as poucas unidades entregues. Segundo afirmou o senador, o modelo adotado foi questionado pelo Tribunal de Contas da União (TCU) e pelo Instituto dos Arquitetos do Brasil. As paredes de chapa de plástico e fibra de vidro, sem fundação, podem cair por não serem resistente a chuvas e enxurradas. O modelo padronizado não considera diferenças regionais de terreno ou temperatura e algo mais grave: em caso de incêndio, a fumaça é altamente tóxica.

No Plenário, Alvaro Dias apontou a necessidade de investigar o porquê de o governo fazer essa opção. “É uma escolha equivocada em detrimento da segurança das crianças, um retrocesso, como diz o presidente do Instituto dos Arquitetos do Brasil”, afirmou na ocasião o senador.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on pocket
Pocket
Share on whatsapp
WhatsApp