O confronto entre o ideal e o possível em evidência na discussão do PNE

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on pocket
Pocket
Share on whatsapp
WhatsApp

“A democracia é esse espetáculo, a disputa de argumentos, de ideias. Ao contrário de alguns, eu fico encantado com debates intensos como o que verificamos aqui hoje na Comissão de Educação. Vemos a paixão colocada à frente dos objetivos, a paixão devota à causa da educação. Respeito as posições de todos, e preservaremos nossos princípios e convicções na elaboração do PNE, quando estaremos confrontando o ideal que buscamos com o que é possível. Nossa intenção, portanto, é nos aproximarmos o máximo do ideal, para a melhoria da qualidade e da inclusão da educação brasileira”. As afirmações foram feitas pelo senador Alvaro Dias, ao final da audiência pública realizada nesta terça-feira, na Comissão de Educação, para debater o PNE para os próximos dez anos.

A audiência foi marcada por debates acalorados, principalmente em torno do resgate do texto aprovado pela Câmara dos Deputados para a Meta 4 do Plano Nacional de Educação. A meta estabelece a universalização do atendimento escolar para alunos de 4 a 17 anos com deficiência “preferencialmente” na rede regular de ensino, e teve sua reinclusão no texto do PNE reivindicada pela maioria dos participantes de audiência pública, a sexta realizada, a pedido do relator, Alvaro Dias, para a discussão do Plano. Essa redação garantiria a inclusão escolar de pessoas com deficiência em classes comuns da escola regular, sem desconsiderar, por outro lado, o direito desses alunos e de suas famílias de optar pelo atendimento educacional em escolas especiais.

Foto: Luiz Wolff

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on pocket
Pocket
Share on whatsapp
WhatsApp