“Nós vamos parar esse País inteiro”, dizem caminhoneiros em audiência

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on pocket
Pocket
Share on whatsapp
WhatsApp

Na audiência pública realizada na Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH) do Senado, nesta quarta-feira (9), caminhoneiros de várias partes do país falaram sobre o bloqueio das rodovias em protesto contra o aumento do preço do combustível devido ao reajuste do PIS e COFINS. O debate promovido pelo presidente da comissão, senador Paulo Paim, contou com a presença do senador Alvaro Dias, que, desde o início, apoiou o movimento.

O líder dos cegonheiros no Estado do Paraná e um dos organizadores do protesto, Wanderley Alves, conhecido como Dedeco, disse que o governo Temer deveria reduzir custos e cortar na própria carne para atender as reivindicações dos caminhoneiros, como o aumento do frete. “ Nós merecemos respeito. O aumento dos combustíveis inviabilizou o nosso trabalho, que já estava difícil com o frete baixo e a redução da fiscalização da Polícia Rodoviária Federal. Nós vamos intensificar os pontos de paradas, independentemente de liminar. Nós vamos parar esse Brasil inteiro”, disse.

“Estamos pedindo socorro”, disse, emocionado, o líder dos caminhoneiros de São Paulo, Rogério Alberto Reame, durante a audiência pública. Ele relatou as dificuldades enfrentadas por eles nas estradas, e disse que tem se sentido fracassado diante da família por não estar conseguindo avanços com os protestos. “Dizem para a gente que caminhões não fazem falta, já que as mercadorias podem ser transportadas por navios e aviões, mas é um erro. Querem reduzir nossa importância na logística, mas somos nós que passamos noites em claro na estrada para que os produtos cheguem aos estabelecimentos. O momento é de desespero, mas não vamos desistir”.

O senador Alvaro Dias cobrou sensibilidade do governo para atender as reivindicações da categoria

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on pocket
Pocket
Share on whatsapp
WhatsApp

Uma resposta

Os comentários estão desabilitados.