Não bastasse o preço das passagens, obras em aeroportos estão atrasadas

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on pocket
Pocket
Share on whatsapp
WhatsApp

Nesta semana, a “Folha de S.Paulo” revelou que as companhias aéreas já anunciavam passagens para o período da Copa do Mundo de 2014 com preços até 10 vezes maiores do que o cobrado normalmente. O jornal identificou preços de viagens entre cidades como Rio de Janeiro e São Paulo mais caros do que o cobrado para o exterior. Levantamento do site Contas Abertas, divulgado nesta sexta-feira, revela ainda que além dos preços estratosféricos, os turistas brasileiros e estrangeiros que se deslocarão pelo Brasil durante a Copa do Mundo encontrarão aeroportos com diversas limitações de serviços, devido à demora na realização de investimentos e das obras prometidas para o setor. De acordo com o site, em 2013, 12 aeroportos de cidades que irão receber jogos da competição deveriam ser contemplados com investimentos da Infraero. Ao todo, R$ 1 bilhão está autorizado especificamente para essas localidades. No entanto, até o final de agosto apenas 54% dos recursos foram aplicados, o equivalente a R$ 551,5 milhões. O Contas Abertas mostra que das 12 obras previstas para aeroportos da Copa, seis desembolsaram menos de 50% dos recursos disponíveis. Nessa situação está, por exemplo, a obra de adequação do Aeroporto Internacional Antonio Carlos Jobim (Galeão), no Rio de Janeiro. Do total de R$ 153,6 milhões autorizados, somente R$ 69,8 milhões foram aplicados pela Infraero até o final de agosto. E vários outros aeroportos estão na mesma situação. Leia mais no site Contas Abertas.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on pocket
Pocket
Share on whatsapp
WhatsApp