Mensalão, o sofisticado esquema de corrupção que o PT ainda quer chamar apenas de “caixa dois”

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on pocket
Pocket
Share on whatsapp
WhatsApp

O senador Alvaro Dias contestou no Plenário, na sessão desta segunda-feira, os argumentos do petista Jorge Viana, que disse ter sido o mensalão um crime de caixa dois de campanha. Em aparte ao senador do PT, Alvaro Dias contestou Viana por ter, em seu ponto de vista, classificado “taxativamente” o mensalão apenas como caixa 2; para Alvaro Dias, que citou parecer dos dois últimos procuradores da República (Antonio Fernando e Roberto Gurgel), o caso consiste em um gigantesco esquema de corrupção. “Realmente o mensalão foi caixa dois, está provado. Mas não foi só caixa dois. Dois procuradores da maior respeitabilidade e conceito afirmaram peremptoriamente tratar-se de um complexo, sofisticado, atrevido esquema de corrupção em nome de um projeto de poder de longo prazo, idealizado por uma organização criminosa. Participei também das CPIs, várias que tivemos àquela época no Congresso Nacional, e pude constatar com provas materiais, documentais, testemunhais a existência de um gigantesco esquema de corrupção. Não foi apenas caixa dois. Essa foi uma justificativa que não tem sentido, não tem consistência, não absolve quem quer que seja, que ficou muito aquém da realidade. O mensalão é filho de um sistema promíscuo, que gera governos corruptos e incompetentes, desse sistema do balcão de negócios, do aparelhamento do Estado, do loteamento dos cargos públicos; um sistema que tem certamente o PT como principal responsável”, afirmou Alvaro Dias.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on pocket
Pocket
Share on whatsapp
WhatsApp