Medida para proteger ministro é um acinte de um governo antiético, diz Alvaro Dias

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on pocket
Pocket
Share on whatsapp
WhatsApp

O senador Alvaro Dias votou contra e criticou duramente a medida provisória editada pelo governo Temer para reorganizar os órgãos da Presidência da República. Na verdade, a medida foi assinada pelo presidente com objetivo único de conceder o instituto do foro privilegiado para o seu ministro Moreira Franco, que vem sendo investigado pelo Supremo Tribunal Federal no âmbito da operação Lava Jato. Para o senador, esta é mais uma ação do governo federal que afronta a inteligência nacional.

“Vivemos tempos difíceis no Brasil, tempos em que a ausência de escrúpulos choca a sociedade. É o caso desta ação do governo, ou deste desgoverno, que envia ao Congresso uma medida que não é para realizar uma reforma administrativa, mas para tentar proteger um amigo do presidente, conferindo a ele o foro privilegiado salvador. Quando nós caminhamos para um momento em que a Câmara decide se acolhe ou não a denúncia da PGR, na qual pela primeira vez um presidente da República no exercício do mandato é considerado o chefe de uma organização criminosa, este presidente encaminha uma medida provisória para proteger um amigo seu. Que tempos estamos vivendo”, criticou o senador Alvaro Dias.

Em seu pronunciamento, o senador Alvaro Dias pediu aos parlamentares que votassem contra a medida, afirmando que a iniciativa, além de representar um “escárnio, um acinte, uma ação desavergonhada de um governo antiético”, representa a utilização de funções de Estado em benefício pessoal. O senador também repudiou o balcão de negócios instalado no Palácio do Planalto e que mantém em funcionamento o sistema promíscuo de governança no Brasil. Para Alvaro Dias, a substituição deste sistema é uma prioridade nacional.

“Enquanto prevalecer o sistema do balcão – que é a usina dos grandes escândalos de corrupção, que é a matriz dos governos corruptos incompetentes –, esse sistema do aparelhamento do Estado e do loteamento dos cargos públicos, nós não vamos alcançar os índices de crescimento econômico compatíveis com a grandeza desse País. Enquanto preservarmos esse sistema, o déficit público não será eliminado. Esse é o sistema que esgota a capacidade financeira de o Poder Público investir em setores essenciais, como educação, saúde, segurança pública. Esse sistema é criminoso, portanto, porque, ao esgotar os recursos públicos que faltam os recursos que faltam na saúde pública, está matando seres humanos desassistidos, amontoados em corredores de hospitais pelo interior do País. Ao fragilizar a capacidade de investir em segurança pública, está matando os seres humanos nas ruas violentas do Brasil. Portanto, esse é um sistema criminoso; o sistema do balcão, o sistema do aparelhamento. Esse sistema só interessa aos mensaleiros, aos sanguessugas, aos filhos do petrolão. Esse sistema só interessa aos chupins da República. E o Presidente Temer demonstra ser um arauto desse sistema. É por isso que está impopular; é por isso que não tem credibilidade; é por isso que não tem autoridade moral e política de promover reformas de profundidade neste País”, concluiu o senador Alvaro Dias.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on pocket
Pocket
Share on whatsapp
WhatsApp