Medida eleitoreira de um governo atrapalhado

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on pocket
Pocket
Share on whatsapp
WhatsApp

“Este governo Dilma é atrapalhado e extremamente lento, até mesmo quando se trata de medidas assistencialistas. Esta medida provisória que estamos votando aqui é eleitoreira, editada às vésperas da corrida presidencial”. A afirmação foi feita pelo senador Alvaro Dias, durante a votação, no Plenário, da medida provisória 622/2010, que abriu crédito extraordinário de R$ 380 milhões para subvenção aos produtores de etanol combustível da Região Nordeste. O senador disse considerar que a medida é “tardia”, pois foi lançada pelo governo federal um ano e meio depois dos prejuízos sofridos pelos produtores nordestinos com eventos climáticos. Alvaro Dias acrescentou que o ideal seria um debate mais profundo sobre temas como o desta medida, inclusive com a realização de audiências públicas. “Da forma como o governo agiu na MP 622”, continuou o senador, “o Congresso Nacional foi mais uma vez tratado apenas como chancelador do Executivo”. O senador admitiu, no entanto, que a medida traz benefícios para os produtores do Nordeste, e, portanto, votou a favor da MP.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on pocket
Pocket
Share on whatsapp
WhatsApp