Novo escândalo de Agnelo: em situação de penúria, governo tem que pagar aluguel por nova sede inacabada

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on pocket
Pocket
Share on whatsapp
WhatsApp

Antes de pegar um avião para Miami, onde passa “férias” desde que encerrou seu mandato de governador do Distrito Federal, o petista Agnelo Queiroz deixou como legado um calote inédito em contratos de parcerias-público privadas (PPPs) no país. É o que afirma matéria do jornal “Valor Econômico” desta quinta-feira. No dia 1º de janeiro, ao transferir o cargo ao novo governador, Rodrigo Rollemberg, o petista Agnelo entregou não só hospitais públicos à beira de um colapso, salários atrasados e um rombo nas contas de mais de R$ 5 bilhões. Também ficou nas mãos dos gestores recém-empossados da capital da República uma dívida, que já chega a R$ 19 milhões, com a concessionária responsável pela construção e operação do novo centro administrativo do Governo do Distrito Federal. Para piorar: a conta bancárias onde deveriam ter sido depositadas as garantias da PPP estava zerada. No seu último dia de mandato, Agnelo inaugurou o novo centro administrativo mesmo sem haver ainda no local água, energia ou mobília. A decisão de Agnelo de fazer a inauguração e receber as chaves no último dia de seu mandato obrigou o GDF a pagar a mensalidade de aluguel, mesmo não sendo ainda possível instalar os órgãos da administração distrital nos prédios. O governo tem que pagar mensalmente R$ 17 milhões a título de aluguel às construtoras responsáveis pela obra, Via Engenharia e Odebrecht.

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on pocket
Pocket
Share on whatsapp
WhatsApp