Julgamento do STF que pode beneficiar aposentados do Aerus será retomado no próximo dia 12

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on pocket
Pocket
Share on whatsapp
WhatsApp

Na abertura da sessão plenária desta quarta-feira de Cinzas (05), o senador Alvaro Dias lembrou que no próximo dia 12 de março os ministros do Supremo Tribunal Federal retomarão o julgamento do recurso da União contra o pagamento à Varig de indenizações que podem chegar a R$ 6 bilhões, em face do congelamento das tarifas aéreas quando dos planos econômicos das décadas de 1980 e 1990. Como explicou o senador, o recurso extraordinário em questão é de interesse vital para milhares de ex-funcionários da empresa falida que contribuíram para o fundo de pensão Aerus, e que buscam, até hoje, receber suas aposentadorias.

“O que nós não compreendemos é a desumanidade. Um governo que empresta generosamente para a construção do Porto de Mariel, em Cuba; que empresta para a construção de aeroporto, em Cuba; que empresta para a Venezuela construir metrô em Caracas, etc, não possibilita a aposentados a justiça. Aliás, as promessas são feitas e descumpridas; os compromissos são assumidos e desonrados. Esperamos que, com a vitória no Supremo Tribunal Federal – é o que nós desejamos no próximo dia 12 –, os aposentados do Aerus possam voltar a ter esperanças de ver os seus direitos assegurados”, disse o senador Alvaro Dias.

O único voto proferido, até agora, foi o da ministra-relatora Cármen Lúcia, favorável à Varig e à Aerus, na linha de que o Estado “deve ser responsabilizado também por atos lícitos (como o Plano Cruzado, de 1986 a 1992) quando tais atos deságuam em prejuízos”. No longo voto proferido há quase um ano, Cármen Lúcia rejeitou o recurso da União, que tem o apoio da Procuradoria-Geral da República.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on pocket
Pocket
Share on whatsapp
WhatsApp