Jornais destacam requerimento para ouvir assessores de Mantega sobre propina

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on pocket
Pocket
Share on whatsapp
WhatsApp

Jornais, agências de notícias e sites informativos destacaram, nesta terça-feira, o requerimento apresentado pelos senadores Alvaro Dias e Aloysio Nunes Ferreira para que sejam ouvidos, no Congresso, os assessores do ministro da Fazenda, Guido Mantega, que são alvo de denúncias de terem recebido propina de uma empresa que presta serviços de assessoria de imprensa à pasta. Segundo matéria publicada pela revista Época neste fim de semana, a ex-secretária da Partnersnet Comunicação Empresarial, Anne Paiva, teria denunciado um esquema pelo qual a empresa teria pago cerca de R$ 60 mil ao chefe de gabinete de Mantega, Marcelo Fiche, e ao chefe de gabinete substituto, Humberto Alencar. A matéria também aponta irregularidades no contrato da Partnersnet com a pasta da Fazenda, como a existência de funcionários fantasmas e superfaturamento.

Segundo o jornal “O Globo”, os senadores Alvaro Dias e Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP) enviaram requerimento à Comissão de Meio Ambiente, Defesa do Consumidor e Fiscalização e Controle para que os assessores Marcelo Fiche e Humberto Alencar, além de Anne Paiva, sejam convidados a dar explicações sobre as denúncias. Os senadores também enviaram um pedido ao ministro da Fazenda pedindo explicações sobre o contrato entre a Fazenda e a Partnersnet.

Segundo reportagem de “O Globo” e também dos jornais “Valor Econômico” e “Estado de S.Paulo”, entre as informações solicitadas pelos senadores estão o valor do contrato, o responsável por essa contratação, quantos profissionais a empresa coloca no Ministério da Fazenda e como é feita a prestação de contas sobre esses serviços. Os senadores também querem saber que providências Mantega já adotou para investigar as denúncias de propina.

Em sua matéria, “O Globo” destaca que entre as providências tomadas pelo ministro da Fazenda para esclarecer as denúncias, não consta o afastamento dos servidores de seus cargos. Ambos trabalharam normalmente nesta segunda-feira, e ainda avaliam se vão pedir férias para se defender.

Ouvido pelos jornais, o senador Alvaro Dias criticou o ministro Guido Mantega por não ter agido com o rigor necessário diante da gravidade das denúncias da revista Época.

“A primeira medida que deveria ter sido tomada era o afastamento dos assessores dos cargos até que a investigação seja concluída. Caso a inocência de ambos seja provada, eles poderiam retornar com todas as glórias. Faltou rigor”, disse o senador.

A “O Globo”, Alvaro Dias explicou que ainda quer ouvir os assessores para saber se será necessário levar o caso à Comissão de Ética Pública da Presidência da República. Mas como a comissão acompanha denúncias que são veiculadas nos meios de comunicação, o assunto já deve ser tratado na próxima reunião, que ocorrerá no dia 09 de dezembro.

Além de detalhar quais foram as informações pedidas pelos senadores ao Ministério da Fazenda, no requerimento protocolado nesta segunda-feira, o jornal “Valor Econômico” afirma que, segundo Alvaro Dias, a denúncia reforça a existência no país de um “modelo perverso de governo que vai corroendo as finanças públicas” e que o PSDB condena

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on pocket
Pocket
Share on whatsapp
WhatsApp