Governo tentará barrar projeto que susta decreto de Dilma sobre participação social

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on pocket
Pocket
Share on whatsapp
WhatsApp

As principais lideranças do PT no Congresso afirmam que o governo tentará de toda forma impedir a votação de projetos de decreto legislativo que sustam a Política Nacional de Participação Social (PNPS) e o Sistema de Participação Social. A criação da política por meio de decreto do Executivo é criticada por diversos parlamentares, inclusive da base do governo, que argumentam que o tema deveria ser objeto de projeto de lei enviado ao Congresso. O senador Alvaro Dias é autor do projeto de decreto legislativo (PDS) 117/2014, que susta os efeitos do decreto presidencial.

O projeto de Alvaro Dias, em exame no Senado, já tem relatório favorável de Pedro Taques (PDT-MT) na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ). Para Alvaro Dias, o governo deveria anular seu próprio decreto e admitir que a medida que tomou representa um retrocesso.

“Enquanto não aprovarmos os projetos de decreto legislativo, o decreto de Dilma continuará vigorando e há um retrocesso na medida, que não contribui para aprimorar o regime democrático. Na verdade, é uma cópia do modelo cubano e bolivariano”, criticou o senador Alvaro Dias.

Na CCJ, tanto o decreto presidencial como o projeto do senador Alvaro Dias deveriam ter sido debatidos nesta quarta-feira (2), mas a audiência pública acabou não sendo realizada pelo esvaziamento da sessão promovido pelo governo, e deve ocorrer em outra data a ser marcada, provavelmente entre os dias 16 e 17 de julho. Segundo Alvaro Dias, o debate terá a participação de três expositores indicados pelo PT e três indicados pela oposição.

Foto: Gerdan Wesley

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on pocket
Pocket
Share on whatsapp
WhatsApp