Governo precisa adotar medidas urgentes para estancar a crise no setor elétrico

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on pocket
Pocket
Share on whatsapp
WhatsApp

A crise no setor energético também foi abordada pelo senador Alvaro Dias, na sessão plenária desta segunda (12/5). O senador fez coro aos especialistas e cobrou soluções urgentes para o atual cenário de abastecimento do País: “Amanhã a CAE deve aprovar requerimento de minha autoria que convida o ministro das Minas e Energia, Edison Lobão, a comparecer ao Senado para falar sobre a crise energética, assim como representantes das empresas geradoras de energia. Este é um debate necessário, já que há um bom tempo estamos alertando para a necessidade de providências imediatas, urgentes e competentes da parte do governo para evitar um apagão de energia com consequências imprevisíveis”, disse.

O senador destacou um relatório do Tribunal de Contas da União (TCU) em que são apontados pontos críticos que ameaçam a segurança energética, como falhas no planejamento da expansão da capacidade de geração; superavaliação da garantia física das usinas; indisponibilidade de parte do parque de geração termelétrica e atraso na entrega de obras de geração e transmissão de energia elétrica.

No pronunciamento, Alvaro Dias lembrou ainda a gestão da crise em 2001, quando o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) diagnosticou a impossibilidade de se atender a demanda até o final daquele ano e o governo Fernando Henrique tomou rápidas providências: criou a Câmara de Gestão da Crise de Energia (GCE)- e determinou uma racionalização que conseguiu reduzir o consumo em 25% e evitar o pior: o racionamento de energia. “É preciso que este governo adote providências competentes e imediatas, porque corremos o risco de racionamento de energia sem precedentes na história, com implicações nefastas para a economia  a vida da população brasileira”, destacou Alvaro Dias.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on pocket
Pocket
Share on whatsapp
WhatsApp