Governo Dilma descumpre promessas: superávit fiscal fica fora da meta e é o menor desde 2009

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on pocket
Pocket
Share on whatsapp
WhatsApp

Na semana passada, ao participar do Fórum Econômico Mundial, em Davos, na Suíça, a presidente Dilma Rousseff prometeu maior rigor fiscal e monetário em sua administração no ano de 2014, e disse que fixará uma meta de superávit primário suficiente para manter a dívida pública (que já ultrapassou os dois trilhões) sob controle. O discurso da presidente não chegou a convencer o mercado, e o jornal britânico Financial Times chegou a dizer que o Brasil saiu como o “grande perdedor” do encontro de Davos. E diante das dúvidas sobre a meta fiscal do governo, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, disse que os compromissos que Dilma assumiu em Davos (meta de inflação de 4,5% e superávit primário consistente com a redução do endividamento público) são “irredutíveis”.

As dúvidas do mercado e investidores sobre a capacidade do governo de cumprir suas metas em 2014 se acentuaram nesta sexta-feira, com a divulgação, pelo Banco Central, do resultado do superávit primário em 2013. De acordo com o BC, o setor público consolidado apresentou superávit primário de R$ 91,306 bilhões no ano passado, o que representa 1,90% do PIB. O resultado ficou bem abaixo do que foi prometido pelo governo. No início de 2013, a meta de superávit primário estabelecida pela equipe econômica de Dilma era de 3,1% do PIB. Esse objetivo foi revisado posteriormente para 2,3% do PIB.

O superávit primário é o saldo positivo entre as receitas e as despesas do governo central, excluindo da conta os gastos com o pagamento de juros da dívida pública. No caso do setor público consolidado, considera as contas do governo central, de governos regionais e das empresas estatais. O valor absoluto alcançado é o menor desde 2009, quando foi de R$ 64,8 bilhões. O porcentual alcançado de 1,90% é mais baixo da série histórica, que começa em dezembro de 2001. Em 2012, houve superávit de R$ 104,951 bilhões (2,39% do PIB).

(Postado por Eduardo Mota – Assessoria de Imprensa)

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on pocket
Pocket
Share on whatsapp
WhatsApp