Financiamento público para a educação pública, reivindicação de dirigente estudantil

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on pocket
Pocket
Share on whatsapp
WhatsApp

Restabelecer metas e mudanças na legislação que foram aprovadas no Plano Nacional de Educação quando de sua votação na Câmara, e que acabaram sendo retiradas do texto aprovado na Comissão de Assuntos Econômicos do Senado. Esta foi a reivindicação feita pela secretária geral da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE), Marta Vanelli, na audiência que está sendo realizada nesta terça-feira na Comissão de Educação sobre o PNE. A dirigente da CNTE afirmou que o relator do projeto na Câmara acatou diversas emendas apresentadas pela entidade, em questões como financiamento para o ensino público, meta de alfabetização, necessidade de aprovação de planos estaduais e municipais, mas no Senado estas sugestões foram modificadas. “Nos surpreendeu ver que aqui no Senado foi modificado o artigo 5º da lei, com a retirada da palavra ´pública´ no investimento dos 10% do PIB na educação. Queremos que essa palavra retorne. Queremos sim os 10% para a educação pública, e isso precisa estar escrito na lei, porque a educação pública precisa ter mais investimentos e ser mais qualificada. Precisamos ter o investimento público para garantir vagas públicas e com isso ampliar a educação no País”, disse Marta Vanelli. A dirigente educacional reivindicou ainda que o PNE contenha uma definição para o início da discussão do próximo plano. Para ela, o debate sobre o Plano precisa começar com pelo menos um ano antes do fim da vigência do PNE atual, para que o Congresso tenha dois anos disponíveis para discutir e aprovar o projeto do Plano Nacional de Educação.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on pocket
Pocket
Share on whatsapp
WhatsApp