Financial Times compara governo Dilma a uma trupe de comediantes

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on pocket
Pocket
Share on whatsapp
WhatsApp

De acordo com matéria do jornal “Estado de S.Paulo”, o jornal Financial Times pede, em editorial publicado nesta segunda-feira, um “choque de credibilidade” no Brasil. A publicação inglesa argumenta, em seu texto, que se o governo de Dilma Rousseff não mudar de rumo, as eleições presidenciais podem resultar em uma mudança. Segundo a publicação, o Brasil enfrenta três desafios imediatos: o caso Pasadena da Petrobras, o fornecimento de energia elétrica após a recente seca e a chance de protestos e insucesso da Copa do Mundo. “O país precisa de um choque de credibilidade. Se Dilma não entregá-lo, as eleições presidenciais de outubro o farão.”

O editorial tem um tom duro contra a presidente brasileira, apresentada como “Pobre Dilma Rousseff” no início do texto. Para o Financial Times, a presidente do Brasil projetava “uma aura tediosa da eficiência de Angela Merkel”, mas resulta em um trabalho mais parecido com o dos comediantes Irmãos Marx. “Os preparativos atrasados para a Copa do Mundo já envergonham o país, enquanto o trabalho para os Jogos Olímpicos de 2016 é classificado como ‘o pior’ que o Comitê Internacional já viu. A economia também está em queda. O Brasil, uma vez que o queridinho do mercado, vê investidores caindo fora”, diz o texto do Financial Times.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on pocket
Pocket
Share on whatsapp
WhatsApp