Evo Morales arranca acordo com governo brasileiro, e Petrobras terá que pagar milhões à Bolívia por gás

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on pocket
Pocket
Share on whatsapp
WhatsApp

Reportagem da edição desta terça-feira da Folha de S.Paulo revela que após mais de sete anos de impasse, a Petrobras e a Bolívia chegaram a um acordo pelo qual ficou definido que a estatal brasileira pagará US$ 434 milhões ao país vizinho pelo envio de excedente energético do gás natural exportado ao Brasil. Diz a “Folha” que o pagamento foi imposto à Petrobras pelo então presidente Lula em 15 de fevereiro de 2007, durante visita do presidente boliviano Evo Morales ao Brasil.

Na época em que foi anunciada a medida, o então presidente Lula justificou tratar-se de “um ato de generosidade e solidariedade”, apesar de a obrigação enfrentar resistência da Petrobras, como ato de “generosidade” e de “solidariedade”. Na ocasião, como lembra o jornal, Evo Morales chegou a se recursar a deixar o prédio do Itamaraty caso não houvesse um acordo sobre o chamado “gás rico”. Hoje, o mesmo Evo celebrou o acordo final, que agora será motivo de propaganda em sua campanha de reeleição (o pleito será em outubro).

O acordo faz a Petrobras pagar mais pela mesma quantidade de gás comprado, 30 milhões de metros cúbicos diários. Desde que a promessa de pagar pelo gás foi feita por Lula, houve resistência dentro da Petrobras. Segundo apurou a Folha de S.Paulo, o departamento jurídico da estatal chegou a recomendar que o pagamento fosse evitado, o que vinha ocorrendo.

Leia mais no site da Folha de S.Paulo.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on pocket
Pocket
Share on whatsapp
WhatsApp