Em sabatina, questionamentos sobre inflação fora da meta, escalada de juros, spread bancário e outros temas

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on pocket
Pocket
Share on whatsapp
WhatsApp

Política de juros, spread bancário elevado, cobrança de elevadas taxas aos clientes do sistema financeiro, ciclo de aperto monetário, política de metas inflacionárias em desajuste com a realidade. Esses foram alguns dos temas abordados pelo senador Alvaro Dias nos questionamentos feitos aos dois novos diretores indicados para o Banco Central, e que foram sabatinados na manhã desta terça-feira (14) na Comissão de Assuntos Econômicos. A Otávio Ribeiro Damaso, indicado para ocupar o cargo de diretor de Regulação do BC, o senador Alvaro Dias afirmou que, apesar de a instituição ter procurado, nos últimos anos, corrigir as causas dos altos juros praticados no País, as margens continuam exorbitantes. “Diante desse quadro, que medidas são necessárias para convergir os juros e spreads bancários domésticos aos níveis praticados nas economias mais avançadas, e que sejam mais apropriados para a competitividade da produção doméstica?”, questionou o senador.

Já para Tony Volpon, indicado para a Diretoria de Assuntos Internacionais da instituição, o senador Alvaro Dias fez questionamentos a respeito da posição do futuro diretor sobre o ciclo de aperto monetário iniciado no ano passado pelo BC, e que já levou a taxa básica de juros a um aumento de 5,5% em poucos meses. O senador também indagou do indicado se ele considerava eficiente a elevação de juros em um cenário já recessivo da economia, além de questionar a opinião de Volpon sobre o sistema de metas inflacionários, que, segundo Alvaro Dias, passou a ser menos eficiente no governo Dilma.

“O ajuste monetário atual foi maior do que o ajuste anterior de 3,75%, entre abril de 2010 e julho de 2011, quando a economia crescia acima do PIB potencial. Também foi maior do que o ciclo de 2,5% anterior à crise de 2008, quando o nível de atividade também estava elevado. Todavia, o nível de inflação não está sendo afetado, flutuando acima de 8% no acumulado de 12 meses. As próprias expectativas inflacionárias de mercado para 2015 estão acima de 8%, portanto acima do teto da meta, apesar de todo aumento de juros acumulado e do quadro recessivo da economia brasileira. Será que não há outro instrumento menos custoso para conseguirmos o controle inflacionário?”, questionou Alvaro Dias na sabatina realizada na CAE.

Os dois economistas, nas respostas que deram ao senador Alvaro Dias, prometeram um combate rigoroso à inflação e disseram que farão de tudo para assegurar estabilidade do poder de compra da moeda, caso cheguem aos postos de comando da instituição.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on pocket
Pocket
Share on whatsapp
WhatsApp