Editorial do Estadão: governo corta orçamento e deixa IBGE à míngua

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on pocket
Pocket
Share on whatsapp
WhatsApp

Editorial desta quinta-feira do jornal “Estado de S.Paulo” critica de forma contundente o governo Dilma por promover um corte de 73% no orçamento do IBGE. O órgão é a principal instituição de pesquisa do País, responsável pela coleta dos dados que ajudam na formulação de políticas públicas, de estratégias da iniciativa privada e do planejamento orçamentário dos cidadãos. É o IBGE quem divulga os resultados oficiais do Produto Interno Bruto (PIB), da situação do emprego, da produção industrial, da inflação e outros dados fundamentais para se analisar a situação do País.

“É inadmissível a decisão do governo federal de privar o IBGE das verbas necessárias a seu pleno funcionamento”, diz o Editorial do “Estadão”. O jornal afirma ainda que “já não é de hoje que esse instituto, cuja independência é essencial para sua credibilidade, tem sofrido toda sorte de constrangimentos por parte do governo petista – sempre preocupado em dissimular ou desmoralizar estatísticas que possam desmentir o edulcorado discurso oficial”.

O jornal “Estado de S.Paulo” diz ainda que um exemplo desse esforço do governo Dilma para minar o IBGE ocorreu em abril, quando a direção do instituto anunciou a suspensão da divulgação dos resultados trimestrais da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua), que mostra a situação do mercado de trabalho no País. A publicação dos números deveria ocorrer no mês seguinte, maio, mas foi adiada para janeiro de 2015 – portanto, depois das eleições presidenciais, certamente porque os números não mostrariam o “Brasil maravilha” da propaganda eleitoral do PT.

Leia o editorial na íntegra no site do “Estadão”.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on pocket
Pocket
Share on whatsapp
WhatsApp