Delta, investigada por desviar milhões em parceria com Cachoeira, continua recebendo dinheiro do governo Dilma

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on pocket
Pocket
Share on whatsapp
WhatsApp

O senador Alvaro Dias costuma afirmar que “o escândalo de ontem é esquecido pelo de hoje, que por sua vez espera o de amanhã para ser esquecido”. Um exemplo disso é o escândalo promovido pela empresa Delta Construções, que provocou a criação de uma CPI no Congresso, abertura de inquéritos no Ministério Público e na Polícia Federal, para investigar as denúncias de que a Delta teria desviado mais de R$ 500 milhões de dinheiro público para empresas fantasmas, algumas delas lideradas pelo bicheiro Carlinhos Cachoeira. Os negócios escusos da Delta continuam sendo investigados, mas a empresa não deixou de receber dinheiro do governo. De acordo com o site Contas Abertas, a Delta Construções, suspeita de corromper servidores do DNIT, voltou a poder participar de novas licitações da administração pública.

A matéria do site Contas Abertas afirma que, além de já ter ganhado novas licitações, os repasses para a Delta também aumentaram neste começo de ano. Nos meses de janeiro e fevereiro de 2014, a empresa recebeu R$ 47,4 milhões da União. O valor é 149% maior do que os R$ 18,9 milhões repassados no mesmo período de 2013. O Contas Abertas afirma que apesar de a empresa estar desde junho de 2012 no Cadastro de Empresas Inidôneas da Controladoria-Geral da Unnão, a Delta recebeu, no ano passado inteiro, R$ 310,6 milhões em repasses do governo federal. A rigor, por estar inscrita no cadastro da CGU, a Delta não poderia participar de licitações ou celebrar contratos com a administração pública. A empresa se defende afirmando que uma liminar do Superior Tribunal de Justiça, de janeiro deste ano, retirou a empresa do cadastro. A medida do Tribunal, no entanto, é passível de revisão e é provisória.

Leia mais aqui.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on pocket
Pocket
Share on whatsapp
WhatsApp