Comissão Europeia critica governo brasileiro e Mercosul por demora em fechar acordos comerciais

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on pocket
Pocket
Share on whatsapp
WhatsApp

O presidente da Comissão Europeia, o português José Manuel Durão Barroso, em tom de provocação, afirmou que o Brasil precisa agir “logo” para consolidar um acordo comercial com o bloco europeu, e que a demora pode pôr em risco o interesse das economias europeias no mercado brasileiro, em função do acordo em gestação com os Estados Unidos. Para ele, “parece absurdo” que o Brasil ainda não tenha concluído negociações bilaterais com a União Europeia, quando o bloco já tem parcerias com economias menores, como Coreia do Sul, Cingapura, Colômbia, Peru e Equador.

Segundo afirma o jornal “Estado de S.Paulo”, a demora na conclusão dos acordos comerciais foi tratada em reuniões dos dirigentes da Comissão Europeia com a presidente Dilma Rousseff. “Me parece um bocadinho absurdo que a UE tenha acordo de livre-comércio com o mundo inteiro menos com o Brasil. O Brasil é o ponto mais importante do Mercosul”, afirmou Durão Barroso, em palestra na Fundação Getúlio Vargas, no Rio.

A prioridade para uma articulação integrada com os países latino-americanos é defendida pelo Brasil, mas as negociações estão paradas há 14 anos por divergências internas do Mercosul. Os europeus preferem acordos bilaterais, mas, ontem, Durão Barroso foi diplomático: “Gostaríamos de ter um acordo com o Mercosul no seu conjunto. Agora, compete aos países do Mercosul dizerem se estão prontos para avançarem em conjunto”.

Em discurso recente no Plenário, o senador Alvaro Dias afirmou que o Mercosul vivencia a mais profunda crise desde a sua fundação. Para ele, os impasses se agravam entre os integrantes do bloco, e com isso os dilemas se multiplicam, deixando várias questões em aberto, como a que foi levantada pelo presidente da Comissão Europeia.

“É lamentável que o Mercosul, que possuía dimensão e potencial para operar como ator relevante das relações econômicas internacionais contemporâneas, tenha se transformado numa agremiação bolivariana”, afirmou o senador Alvaro Dias, em discurso recente.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on pocket
Pocket
Share on whatsapp
WhatsApp