Com juros nas alturas, economia desacelera e o pibinho é de apenas 0,2%

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on pocket
Pocket
Share on whatsapp
WhatsApp

A economia brasileira cresceu apenas 0,2% no primeiro trimestre de 2014, segundo dados divulgados nesta sexta-feira (30), pelo IBGE. O resultado se verifica na comparação com o quarto trimestre do ano passado, quando a expansão do Produto Interno Bruto (PIB) havia sido de 0,7%. Na comparação com o mesmo período de 2013, quando houve crescimento de 0,6%, o PIB teve alta de 1,9%. O número veio em linha com as expectativas de mercado, que apontavam para alta tímida entre 0,1% e 0,4%. De acordo com o IBGE, no período acumulado em 12 meses, o PIB cresceu 2,5%, mas graças principalmente ao desempenho da agropecuária brasileira, que teve crescimento de 4,8% em um ano. O fraco desempenho do PIB ocorre em meio à dificuldade da indústria de voltar a crescer — o setor é visto como o principal entrave a uma expansão mais robusta da economia. A indústria registrou queda de -0,8% de janeiro a março.

O IBGE constatou ainda que a taxa de poupança da economia brasileira também caiu, de 13,7% no ano passado para 12,7% nos primeiros três meses de 2014. É o menor valor desde 2000. Mas as revelações do órgão não param por aí. Pressionado pelo governo, que revelou seu desagrado com a análise dos números da economia pelos técnicos do órgão, o IBGE promoveu uma revisão do crescimento do PIB em 2013. Com o novo sistema implantado pela instituto, houve revisão do PIB do ano passado de 2,3% para 2,5%.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on pocket
Pocket
Share on whatsapp
WhatsApp