Apesar dos calotes do chavismo, governo Dilma ajudará governo da Venezuela e brasileiros pagarão a conta

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on pocket
Pocket
Share on whatsapp
WhatsApp

O senador Alvaro Dias criticou nesta quinta-feira (07) a disposição do governo brasileiro de continuar colaborando com o governo da Venezuela mesmo sem receber contrapartidas. Um dos exemplos, de acordo com Alvaro Dias, foi o contrato que governo venezuelano assinou com a Petrobras. O senador lembrou que o país, então governado por Hugo Chávez, tornou-se sócio da usina Abreu e Lima, mas nunca repassou verbas para as obras de construção, dando um calote no Brasil.

“O regime chavista na Venezuela seguramente não é bom pagador. Nós temos uma experiência vivida já há anos com a obra da Usina de Abreu e Lima, em Pernambuco, agora condenada pelo Tribunal de Contas da União em razão do superfaturamento monumental de mais de US$ 2 bilhões. O governo de Hugo Chávez celebrou contrato com a Petrobras e tornou-se sócio desta Usina Abreu e Lima, mas nunca repassou sequer um centavo para as obras de construção. E à época Chávez tinha um argumento: a obra estava superfaturada e, portanto, não cabia ao governo dele repassar recursos para esse superfaturamento monumental. Mas mesmo assim o Brasil continuou financiando a Venezuela. Recursos para obras do metrô em Caracas, recursos para hidroelétrica no país etc. Não sabemos a quantas andam as relações comerciais, qual o débito da Venezuela com o Brasil nessa relação de comércio. O que sabemos é que o governo brasileiro da presidente Dilma, mesmo com todos os calotes do nosso vizinho, decidiu que vai socorrer novamente a Venezuela, para ajudar Nicolás Maduro a vencer a crise de desabastecimento daquele país. É o petismo socorrendo o regime chavista que faz água por todos os lados, generosidade financiada com o dinheiro do contribuinte brasileiro”, criticou o senador.

Foto: Jorge Silva / REUTERS

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on pocket
Pocket
Share on whatsapp
WhatsApp