Apesar do desemprego em queda, gastos do governo com seguro-desemprego aumentam cada vez mais

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on pocket
Pocket
Share on whatsapp
WhatsApp

Segundo números recentes do IBGE, a taxa de desemprego no Brasil continua em queda, e o índice que era de 5,4% em setembro, caiu para 5,2% em outubro. Mas apesar de estar em queda a quantidade de brasileiros desempregados, não param de crescer os gastos do governo com o pagamento do seguro-desemprego. De acordo com levantamento do site Contas Abertas, entre janeiro e outubro deste ano o governo federal desembolsou R$ 23,4 bilhões para o pagamento de seguro-desemprego, valor que ficou R$ 139,9 milhões maior do que os R$ 23,3 bilhões aplicados em igual período no ano de 2012. O fato dos valores crescerem mesmo com a diminuição do desemprego pode ser explicado, em parte, pelo número de fraudes que acontecem nos pagamentos do benefício. Em apenas três operações da Polícia Federal (PF) sobre fraudes no seguro-desemprego, entre novembro de 2012 e setembro deste ano, foi identificado o desvio de R$ 56 milhões em pagamento de auxílios indevidos.

Questionado sobre os motivos de os valores pagos no seguro-desemprego estarem subindo tanto, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, disse que “agora” o governo “vai investigar profundamente” as causas do aumento das despesas com o seguro-desemprego e o abono salarial, que devem chegar a R$ 47 bilhões este ano, o equivalente a 1% do PIB. A alta desses gastos é um dos motivos para a piora nas contas do FAT que, como o GLOBO revelou no último dia 28, terá déficit recorde de R$ 7,2 bilhões este ano. Leia mais no site do Contas Abertas.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on pocket
Pocket
Share on whatsapp
WhatsApp