Alvaro Dias cobra cumprimento do programa de creches do governo

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on pocket
Pocket
Share on whatsapp
WhatsApp

No discurso desta sexta-feira (20/3), o senador Alvaro Dias (PSDB/PR) também fez um alerta sobre o não cumprimento de uma das bandeiras de campanha da presidente Dilma Rousseff: o programa que previa a construção de 5.772 creches e pré-escolas até o fim de 2014. Segundo o senador, desse total, apenas 786 foram construídas, menos de 14% da meta prometida: “Inúmeros agravantes ainda se fazem presentes. Mais de 1.600 empreendimentos ainda não saíram do papel e, nesse universo, 1.126 ainda estão em ação preparatória, estágio em que acontece o processo licitatório. Há prefeituras de cidades importantes do País que desapropriaram áreas e investiram para oferecer a possibilidade da construção da creche prometida pelo programa PAC II do governo Federal; e esses terrenos se tornaram baldios, já que a ação do governo não se apresentou. Portanto, o que prevaleceu foi a promessa”, disse.

Alvaro Dias destacou que, diante desse quadro, os direitos da criança e da família estão sendo vilipendiados. Na avaliação do Tribunal de Contas da União, o programa de creches tem muitas falhas, como a falta de diagnóstico prévio, e desperdiça recursos. De acordo com o TCU, é comum encontrar refeitórios destinados para crianças sem proteção para o frio e a chuva, além de anfiteatros descobertos, falta de acesso coberto aos banheiros e bibliotecas sem livros. A utilização de PVC para a construção de creches também é questionada, porque o material é pouco resistente a chuvas.  “O programa Proinfância, criado para construção de creches e pré-escolas, deveria ser estratégico e executado como política pública para autonomia das mulheres e melhor estruturação das famílias, mas faltam recursos, preparação pedagógica e dificuldades burocráticas. Segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios, quase dez milhões de crianças de zero a três anos estão fora da creche”, destacou o senador.

O Ministério Público Federal, em inúmeros estados da Federação, tem instaurado procedimentos e cobrado explicações sobre atrasos na construção de creches e sobre indícios de superfaturamento. Para o senador, os problemas das construções no País ultrapassam as creches. “A incompetência gerencial é flagrante e se revela no âmbito da segunda etapa do PAC 2: apenas 31,7% das iniciativas foram concluídas, o que nos faz asseverar, mais uma vez, que estamos diante de um governo das promessas, da mistificação, um governo que anuncia muito e realiza muito pouco”.

Foto: Gerdan Wesley

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on pocket
Pocket
Share on whatsapp
WhatsApp