A urgência da Reforma Tributária

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on pocket
Pocket
Share on whatsapp
WhatsApp

 No pronunciamento desta segunda-feira (26/05), o senador Alvaro Dias também cobrou a realização de uma reforma tributária. Ele reproduziu apelo da Associação Comercial do Paraná que foi divulgado nos principais jornais do Estado, ontem (25), Dia Nacional do Respeito ao Contribuinte. Segundo a ACP, “até a presente data, o brasileiro já pagou mais de R$ 658 bilhões em impostos. Ao mesmo tempo, os índices de violência crescem em ritmo alarmante, a educação básica está cada vez pior e a saúde pública em segue em situação deplorável. Pagamos cada vez mais impostos. E, em contrapartida, recebemos cada vez menos do poder público. Com certeza, isso não é respeito ao contribuinte”, diz a nota, assinada pelo presidente Edson José Ramon.

“Temos outros números: em 2003, os tributos representavam 36,98% de toda a renda dos cidadãos brasileiros; agora, em 2014, serão 41,37%. Se forem incluídos os gastos com convênios médicos, escola e outros serviços particulares, gastos esses feitos para compensar a ineficiência governamental em oferecer serviços de qualidade ao contribuinte, os números seriam revistos para cima. Enquanto isso, o País convive com cerca de 50 mil homicídios por ano. Segundo o censo da educação básica, do IBGE, pelo menos 3 milhões de crianças e jovens estavam fora da escola no ano passado. Nós apresentamos aqui, várias vezes, um número impressionante: o Governo brasileiro está gastando de R$28 bilhões a R$30 bilhões com a Copa do Mundo. Se aplicássemos R$25 bilhões, colocaríamos, nas escolas, todos os brasileiros de 4 a 17 anos que estão fora delas. Portanto, essa inversão de prioridade, sem dúvida, provoca um impacto grande na cabeça das pessoas lúcidas deste país. O que nós gostaríamos é que o Governo reconhecesse também a necessidade da reforma tributária, a reforma do sistema federativo. Nós tivemos promessas contundentes durante a última campanha para a presidência da República. Entre essas promessas, a da reforma tributária certamente prevalecia como prioridade indiscutível. No entanto, essa promessa foi esquecida”, disse o senador

Foto: Gerdan Wesley

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on pocket
Pocket
Share on whatsapp
WhatsApp